Ampliação do aviso prévio: a polêmica persiste